MELANCIA

Pingo Doce pode ajudar consumo no Brasil



05.10.2018 - 04:17

Nos últimos dez anos o consumo de melancia no mercado espanhol chegou a 10 kg per capita ao ano por conta do desenvolvimento do produto pela Nunhmes®, a marca de sementes de frutas e hortaliças da BASF. “A melancia na Espanha é um caso de sucesso que começou em 2002”, ressalta Pere Montón, gerente de contas da Nunhems® na Espanha.

A melancia caiu no gosto dos espanhóis por meio de uma variação sem sementes, de tamanho reduzido e mais saborosa. “Atualmente, de cada dez melancias consumidas na Europa, quatro são espanholas. A área de cultivo da fruta dobrou na última década”, afirma Montón.

Com o sucesso no país europeu a Nunhems® apresentou o conceito Pingo Doce ao mercado brasileiro. O lançamento do Projeto Pingo Doce foi realizado em 25 e 26 de setembro em Mossoró (RN). Pere Montón e um grupo de empresários espanhóis contaram suas experiências bem-sucedidas no cultivo da fruta aos agricultores, comercializadores e supermercadistas brasileiros. O evento também teve a participação de agricultores argentinos e chilenos que vieram conferir a novidade no mercado brasileiro.

“Em uma iniciativa inédita para o setor, unimos os elos da cadeia no evento para que conhecessem o processo produtivo que garante um produto de maior valor agregado. Todos saem ganhando com a adoção de práticas sustentáveis como a fertirrigação (irrigação com adubação) e a rastreabilidade”, afirma Leonardo Herzog, gerente de contas Nunhems®.

Com menos sementes e menor tamanho, mas muito mais adocicada a melancia Pingo Doce é voltada ao consumidor que busca praticidade e sabor em um só produto. “A melancia obtida pelo sistema Pingo Doce tem o dobro de antioxidantes quando comparada às melancias convencionais, o que previne o desenvolvimento de doenças no nosso organismo”, explica Herzog.

Além disso, a melancia é a fruta in natura com o maior teor de licopeno, que ajuda na prevenção de doenças como o câncer de próstata. A água representa mais de 90% da melancia, por isso ela é indicada para a reidratação após a prática de atividades físicas.

A melancia com o padrão Pingo Doce já é produzida nos estados de Piauí, Bahia, Tocantins, Goiás, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Montón acredita que o país tem tudo para ser o próximo caso de sucesso no cultivo e comercialização da fruta. “O Brasil tem um grande potencial e nós acreditamos no sucesso deste projeto”, finaliza.