PÁSCOA

ABICAB apresenta as novidades para 2013



31.01.2013 - 02:36

A Páscoa, uma das datas mais importantes para o setor de chocolates no Brasil, já se aproxima e as novidades começam a chegar aos pontos de venda logo após o carnaval. Ao todo, 11 associadas da ABICAB (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados), apresentaram, no final de janeiro, durante o 24º Salão de Páscoa, cerca de 100 lançamentos, de diversos sabores e estilos, desde o ovo tradicional, passando pelo branco, meio amargo, sabores diferenciados, ovos de colher, licenciados, com personagens, times de futebol até as colombas pascais.

Segundo a entidade, os números comprovam que os brasileiros continuam apaixonados por chocolate, principalmente nesta época do ano. “A Páscoa de 2012 foi responsável pela produção de cerca de 18 mil toneladas de produtos, com 80 milhões de ovos vendidos em mais de 800 mil pontos de venda do País. Estes números mostram que o mercado de chocolate neste período se manteve estável em relação à 2011”, lembra Ubiracy Fonseca, vice-presidente de Chocolate da ABICAB. Segundo o executivo, a data representa o “13º mês” da indústria de chocolates.

Em relação ao mercado de chocolate como um todo, o setor em 2012 teve desempenho estável. “A ABICAB ainda não fechou os dados, mas estimamos que a produção acumulada do ano tenha ficado estável em relação a 2011. O setor seguiu o movimento da economia do País, que apresentou um cenário de baixo crescimento”, explica o vice-presidente da ABICAB. Fonseca lembra ainda que há muito espaço para crescer: “atualmente, o consumo per capita no Brasil é de 2,2 kg por ano. Há três anos o consumo era de 1,65 kg. Esse aumento foi motivado principalmente pelo crescimento de renda da população, que passou a incluir o produto na cesta de compras”. Na Suíça, o consumo médio de chocolates está em torno de 12,2 kg/hab/ano.

A contida expectativa da entidade para 2013 é manter ao menos as mesmas 18 mil toneladas de produção/comercialização de chocolates, o que não significa estagnação – “o setor vinha crescendo dois dígitos até 2011 e, pelo fato do chocolate ser um produto de consumo por impulso, o resultado é satisfatório. As empresas continuam investindo, modernizando suas fábricas, apostando em novos produtos, ampliando suas instalações e acreditando na força do país, que é o terceiro maior fabricante de chocolates do mundo, apenas atrás dos Estados Unidos e Alemanha”, completa Fonseca.

Outro aspecto importante da Páscoa é que ela movimenta diversos setores da economia, desde insumos até embalagens e logística, oferecendo boas oportunidades de trabalho. Apenas nas indústrias chocolateiras foram abertas mais de 20 mil vagas temporárias, processo que teve início no segundo semestre de 2012. Este contingente atende ao aumento de demanda que acontece principalmente nas áreas de produção, promoção e vendas.