SUPERMERCADOS

Vendas dos supermercados crescem 7,27%



30.11.2009 - 03:53

As vendas do setor supermercadista em outubro de 2009 cresceram 7,27%, em relação ao mesmo mês de 2008, de acordo com o Índice Nacional de Vendas, divulgado mensalmente pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Em comparação a setembro de 2009, houve alta de 8,02%. No acumulado dos primeiros dez meses de 2009, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o resultado chega a 5,57%. Esses índices já foram deflacionados pelo IPCA do IBGE.

Em valores nominais, o Índice de Vendas da Abras apresentou crescimento de 11,74%, em relação ao mesmo mês do ano anterior, e alta de 8,33% sobre o mês anterior. No acumulado dos dez primeiros meses, a alta nominal chega a 10,86%.

"Os bons resultados apresentados pelos supermercados aconteceram, em grande parte, devido ao aumento de renda das classes D e E. A inclusão dessa enorme parcela da população no mercado consumidor é sinal de maior progresso econômico e social", avalia o presidente da Abras, Sussumu Honda.

Em outubro, o AbrasMercado, cesta de 35 produtos de largo consumo, analisada pela GfK, apresentou crescimento de 0,87%, em relação ao mês anterior. Já na comparação com outubro de 2008, o AbrasMercado apresentou alta de 1,42%, passando de R$ 257,90 para R$ 261,57.

Os produtos com as maiores altas foram: cebola, com 31,50%; tomate, com 8,07%; e açúcar, com 7,54%. Já os produtos com as maiores quedas foram: leite longa vida, com -11,32%; queijo mussarela, com -7,09%; e creme dental, com -4,06%.

De acordo com o Índice Nacional de Volume, pesquisado pela Nielsen para a Abras, o autosserviço brasileiro apresentou crescimento de 2,4% nas vendas em volume, no acumulado dos dez primeiros meses de 2009, em comparação ao mesmo período de 2008 (quando o crescimento foi de 0,5%).

Das cestas pesquisadas, aquela que apresentou a maior alta nas vendas foi a de bebidas alcoólicas, com 6,8%. As cestas de perecíveis, com 6,1%; bebidas não alcoólicas, com 4,4%; limpeza caseira, com 3,2%; higiene e beleza, com 1,3%; mercearia doce, com 0,6%; e mercearia salgada, com 0,3%, também registraram alta. A cesta outros, que contém principalmente produtos de bazar, foi a única a ter queda no volume vendido, com -3,7%. 

Realizada anualmente pela Abras, a Pesquisa de Natal Abras 2009 revelou que 65% das empresas entrevistadas aumentaram os pedidos junto à indústria, 33% mantiveram as encomendas no mesmo patamar e apenas 3% reduziram as compras. Em relação ao desempenho das vendas no período de final de ano, as expectativas são otimistas: os supermercados brasileiros esperam vender 7,9% a mais, em faturamento, do que no Natal de 2008. "Estamos otimistas para o período de final de ano. Acredito que teremos um desempenho acima das vendas do ano passado", explica o presidente da Abras, Sussumu Honda.

A Pesquisa também mostrou que 56% das empresas respondentes vão contratar mão-de-obra temporária, enquanto que 44% não irão contratar. O setor estima que, no total, serão contratadas 11,5 mil pessoas especialmente para o período de final de ano. Desse total, 13% devem ser efetivadas.

Os supermercadistas brasileiros aumentaram as compras de todos os produtos de Natal. Frutas típicas, com 14,2%, refrigerante, com 14%, e cerveja, com 13,8%, foram os produtos com maior percentual de aumento de encomendas. Já tender, com 6,1%, peixes frescos, com 6,4%, e peru, com 7,2%, tiveram os menores crescimentos percentuais. Destaque também para os produtos importados. Os supermercadistas brasileiros encomendaram 13,5% a mais de frutas especiais importadas, 9,7% a mais de vinhos importados e 9% a mais de importados em geral (azeites, azeitona, queijos, etc.).