NATURAL TECH

9ª edição da feira é realizada em junho



10.05.2013 - 12:21

Segundo levantamento divulgado no programa de TV “Pequenas Empresas Grandes Negócios”, o mercado de alimentos saudáveis e suplementos deve movimentar R$ 20 bilhões nos anos de 2012 e 2013, um aumento de 40%. A expectativa do crescimento deve-se principalmente à busca dos consumidores por uma alimentação e estilo de vida mais voltados ao bem-estar e a ética alimentar.

Pesquisa feita pelo Ibope em 2010 mostrou que o Brasil tem pouco mais de 15 milhões de vegetarianos (pessoas que não se alimentam de carne, mas que podem, ou não, consumir outros produtos de origem animal), ou 8% da população do País.

Para debater a ascensão deste mercado, a 9ª edição da Natural Tech, - Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde, que acontece entre 27 e 30 de junho, no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera. O evento será promovido e realizado pela Francal Feiras, com apoio da ABC-Spas - Associação Brasileira de Clínicas e Spas; ABCFarma – Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico; ANFARMAG – Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais; SUFRAMA – Superintendência da Zona Franca de Manaus; Ministério do Desenvolvimento Agrário; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Paralelamente acontece o Bio Brazil Fair | BioFach América Latina – 9ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia. Maiores detalhes no site www.naturaltech.com.br.

Outro segmento que está diretamente ligado à Natural Tech é dos produtos ou tratamentos fitoterápicos. Após a proposta de mudança de regulamentação feita pela Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – que transforma os fitoterápicos em medicamentos tradicionais –, o mercado tende a se movimentar para que haja uma adequação às novas normas, atualmente em consulta pública. Segundo empresas do ramo, a regulamentação será extremamente benéfica para o mercado, já em crescimento, mas agora com credibilidade e organização mercadológica. Para o diretor da Copra Alimentos, expositora da Natural Tech, Hélcio Oliveira, os fitoterápicos são vistos mais como métodos preventivos do que propriamente medicamentos e que, para ele, a mudança será positiva. “Tenho um crescimento girando em torno dos 20% desde que comecei a produzir o óleo de coco. Essa medida vai ajudar muito nas minhas vendas, pois o valor do óleo será ainda mais reconhecido pelo público em geral”. Segundo Oliveira, com as novas regras os produtores terão que obrigatoriamente se adequar ao mercado. “Isso será benéfico à população, que vai poder consumir os fitoterápicos sem medo e achá-los com facilidade”.