CONSCIENTIZAÇÃO

Quase 90% dos brasileiros preferem marcas sustentáveis



28.02.2020 - 02:39

Segundo levantamento realizado pela Union + Webster, 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar produtos de marcas sustentáveis. A pesquisa mostrou ainda que 24% da população brasileira é da geração Z, jovens nascidos entre 1999 e 2019, tornando-os o segundo maior público consumidor do país, atrás apenas dos millenials — a geração nascida entre 1981 e 1998.

Os jovens estão mais engajados em causas socioambientais e é cada vez mais difícil uma empresa sobreviver, sem se preocupar com estes temas. Por outro lado, além de visar o lucro, grande parte dos negócios (principalmente aqueles que têm como cliente final o consumidor jovem) tem se reinventado e focado em ações que diminuam o impacto negativo de suas ações no planeta e na sociedade em que estão presentes.

“O fato é que o consumidor evoluiu e, assim como o mercado está em constante mudança, a sua satisfação passa por um processo de adequação, uma vez que envolve algo mais que um bom produto com características positivas ou serviço prestado”, diz o professor de Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter, Achiles Batista Ferreira Junior. “Quem compra hoje, leva em consideração os aspectos sociais, ambientais e econômicos, sendo que, especificamente no quesito social, trata do capital humano de uma empresa ou sociedade. Ou seja, nesse novo mercado, definitivamente não basta ser bom, tem que parecer ser bom e provar em todos os aspectos suas qualidades, com um ciclo definido, como começo, meio e fim’’, afirma.

O professor diz ainda que isto é uma tendência mundial, influenciada, muitas vezes, pela democratização da informação que aproximou a realidade do mundo’’, diz o especialista. Fatores anteriormente vistos como menos importantes, como preocupação com meio ambiente, logística reversa, tempo de decomposição, qualidade de vida e desenvolvimento regional, por exemplo, agora são prioridade para um consumidor cada vez mais consciente dos impactos da indústria e comércio no meio ambiente e na sociedade como um todo.