ALIMENTOS

Hellmann's e Comida Invisível contra sobras



14.11.2019 - 04:56

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Hellmann’s e a plataforma Comida Invisível criaram o projeto “Comida é muito boa para ser desperdiçada”. O projeto visa conscientizar restaurantes sobre as suas responsabilidades em relação aos alimentos desperdiçados, além de ajuda-los a encontrar instituições que recebem doações das sobras.

No projeto, a Hellmann’s é responsável por informar donos de estabelecimentos, auxiliando-os a identificar, medir e administrar as sobras de comida. Isto é feito através de uma série de conteúdos educacionais com dicas práticas, ferramentas e inspiração para que os operadores façam o melhor uso possível dos alimentos que têm na cozinha, desde uma administração de estoques eficiente e montagem do cardápio, até ações com seus consumidores.

Os donos de restaurantes serão convidados a utilizar a plataforma do Comida Invisível, que os auxilia a encontrar um destino para as sobras de comidas. Os interessados em aderir ao aplicativo tem que cadastrar suas doações na plataforma http://app.comidainvisivel.com.br, informando as condições dos alimentos e data de validade. A ideia é que o desperdício se torne zero na medida em que as empresas conectem quem tem comida sobrando com quem precisa dela. Pessoas físicas e terceiro setor buscam por doações na plataforma e requisitam os alimentos disponíveis via geolocalização ou pesquisas por categorias. Quando as doações ficam disponíveis, os donatários são alertados e combinam a entrega/retirada via chat. A partir disso, o donatário assume a responsabilidade pelo alimento doado e se compromete a armazená-lo e manipulá-lo de forma responsável.

O projeto-piloto começou em outubro e vai até dezembro em São Paulo (SP), município em que há o maior número de inscritos na plataforma. No entanto, a ideia é que em 2020 a iniciativa seja ampliada para outras regiões do Brasil. “A parceria nasceu da combinação das duas marcas que têm um propósito em comum: o de combater o desperdício de alimentos. Junto ao Comida Invisível, conseguiremos levar aos nossos operadores parceiros soluções que não só aumentarão a rentabilidade dos seus negócios por meio da diminuição dos custos de desperdício, como que também os tornarão participantes ativos de um movimento de transformação social”, afirma Cristiane Naco, diretora de Marketing de Hellmann’s em Foods Solutions.

 Desperdício

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), aproximadamente 30% dos alimentos produzidos no mundo anualmente são desperdiçados. Isto equivale a 1,3 bilhão de comida por ano, o suficiente para alimentar 750 milhões de pessoas.

O desperdício impacta negativamente não apenas as pessoas, mas o meio ambiente já que, quando vira lixo, eles geram emissões desnecessárias de metano CO4 na atmosfera. Além disso, há um desperdício de recursos naturais e financeiros por parte de quem produz os pratos. "Quando há sobra, há queda de lucratividade para restaurantes, implicando em variados custos desnecessários como com a compra de novos ingredientes, gastos com mão-de-obra, gás, luz, entre outros. Os operadores também acabam pagando taxas de lixo com valores maiores quando existe esse volume de desperdício", pontua Daniela Leite idealizadora do Comida Invisível.

Desde que mantida a segurança para consumo de acordo com as normas da Vigilância Sanitária, os alimentos industrializados ou embalados, respeitado o prazo de validade, e os alimentos preparados ou in natura, que tenham perdido sua condição de comercialização, podem ser doados no âmbito do Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos, a bancos de alimentos e a instituições receptoras, nos termos da Lei nº 13.327, de 2002 e Decreto nº 42.177, de 2002. Esse fato é reforçado na Portaria CVS 3/2015 do Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo em seu artigo 51.