ARTIGO- Gabriel Ferrari

Como a customização pode ser um diferencial



31.10.2019 - 05:34

Não importa o ramo do seu negócio, a customização de produtos é uma tendência cada vez mais forte, principalmente na indústria de alimentos. Segundo dados da While Technomic, 46% das empresas alimentícias sabem da crescente demanda dos consumidores por personalização, mas apenas 61% das redes de fast-food estão abertas a adaptarem seus pratos para gostos individuais.

São diversas as possibilidades para se ofertar pratos customizados no restaurante e fortalecer a marca. Em um mercado cada vez mais concorrido, vemos redes de alimentação criando a todo momento novas estratégias para se destacarem no mercado. Elas vão desde pratos até conceitos totalmente baseados em personalização, como bares de iogurte homemade e bebidas artesanais ajustadas na hora do consumo conforme o gosto pessoal do cliente.

A customização dá ao negócio um diferencial de mercado. Ela permite, por exemplo, que os consumidores adaptem as refeições de acordo suas necessidades nutricionais e estilos de vida. É o caso de redes que vendem legumes, verduras e frutas frescas como adicionais ou opções vegetarianas. Além disso, ao oferecer produtos personalizados o restaurante sai do óbvio e dá exclusividade ao cliente. E é essa exclusividade que vai fazer o consumidor dar preferência ao seu estabelecimento em detrimento aos concorrentes.

Customização para Millennials

Se o desafio já é grande ao falarmos de personalização, imagine quando pensamos em alimentos saudáveis e que tenham uma cadeia de produção mais sustentável? Pois é isso que os Millennials, jovens que hoje estão no início da fase adulta e que irão definir o mercado de consumo do futuro, têm buscado nas redes de alimentação. Eles esperam das empresas transparência ao falar de responsabilidade socioambiental e que isso se reflita nos produtos que elas vendem.

Para se perpetuarem no mercado, as empresas precisam começar a mudança agora.  O primeiro passo é ficar atento e ouvir do jovem consumidor o que ele quer ver na marca.

Se já percebeu que algum produto personalizado tem mais apelo com o Millennials, faça propaganda em cima dele. Outra dica é fazer ofertas especiais, mesmo que rápidas, para os itens personalizáveis.

Ao falar de responsabilidade socioambiental, mostre para o consumidor o que a empresa está fazendo. O restaurante apoia produtores de alimentos da região? Conte isso nas redes sociais. É a favor da redução do uso de plástico? Então faça ações especiais para reciclagem ou adote embalagens “eco-friendly”.

Este ano a Subway, por exemplo, lançou a campanha “Não Salvem os Canudos” e se comprometeu a reduzir em 50% o número de canudos e tampas plásticas de uso único até o fim de 2020 em seus restaurantes na América Latina. Em apenas três meses da campanha, ao comparar com maio de 2019, a rede reduziu canudos de plástico em mais de 20% e o de tampas de plástico em 14%. Isso representa uma média mensal de quase 1 milhão de canudos e quase 250.000 tampas que não estão mais em circulação na América Latina. A empresa fala sobre a campanha por meio de artistas de sanduíche, pontos de venda, na mídia tradicional e nas redes sociais.

Diferencial competitivo

Em um segmento com tanta competitividade, empreendedores e gestores do setor de alimentação precisam estudar seu público para oferecer diferenciais competitivos, aquele fator especial que faz com que seu restaurante seja preferido pelo cliente.

Com estas dicas de customização, seu negócio ganha mais competitividade e extrapola a expectativa do consumidor. Quando o estabelecimento dá mais do que o cliente espera e este é surpreendido positivamente nasce um laço afetivo entre consumidor e a marca. E quem não quer isso para o próprio negócio?


Gabriel Ferrari é Diretor de Marketing da Subway Brasil e atua na indústria alimentícia há mais de seis anos. Gabriel é formado em Marketing pela ESPM, com MBA em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas e tem especialização em finanças pela Universidade de Columbia, em Nova York.